Em virtude da crise financeira do Estado do Rio de Janeiro, que ocasionou a redução da subvenção destinadas às escolas desamba da Intendente Magalhães, e a incerteza de quando o valor será pago às agremiações da Série D, a direção do Corações Unidos do Amarelinho decidiu fazer a fusão com a Acadêmicos do Jardim Bangu, que desfilaria pelo Grupo E. 

Com a fusão das agremiações, surgiu o Grêmio Recreativo Escola de Samba Corações Unidos do Jardim Bangu.

A nova agremiação abrirá o Carnaval da Série D no domingo deCarnaval, no dia 11 de fevereiro, na Passarela do Povão. As cores da escola serão as mesmas da Acadêmicos do Jardim Bangu: verde, vermelho e branco, assim como o presidente André Silveira Mendes, o carnavalesco Fábio Carneiro, o casal de mestre-sala e porta-bandeira, Hugo César e Livya Bergmma, o mestre bateria Dilsinho e o intérprete Rodrigo Souza. 

Após a fusão das escolas, ficou decidido pela nova diretoria que o enredo que o Corações Unidos do Jardim Bangu apresentará será o mesmo da antiga Corações Unidos do Amarelinho, "Etnia Terena: a tribo que Corações Unidos se encantou e hoje vem contar a sua trajetória e seus progressos", que será desenvolvido pelo carnavalesco Fábio Carneiro, bem como o samba-enredo.

A direção da nova agremiação divulgará em breve a nova logo e os locais dos ensaios rumo ao desfile de 2018.

Postar um comentário

 
Top